ALIMENTAÇÃO INTUITIVA: 3 – Fazer as pazes com a comida

Um dos pilares centrais e um passo essencial da alimentação intuitiva é fazer as pazes com a comida, ou seja, ter permissão incondicional para comer, algo muitas vezes mal compreendido pelas pessoas. 

Quando pensam em “permissão incondicional”, remete-nos ao pensamento que podemos comer tudo o que nos aparece à frente. Na verdade, não é isso que quer dizer. 

Após passarmos pelo primeiro passo da alimentação intuitiva – rejeitar a mentalidade de dieta – será mais fácil compreender este ponto. 

A permissão para se comer de uma forma incondicional não quer dizer que a pessoa deva comer o que quiser, a qualquer momento e sem nenhum critério para fazer as suas escolhas alimentares.

Um bom principio é fazer perguntas do género:

  • “eu realmente quero comer tal alimento?”; 
  • “apetece-me ou vai-me saber bem um bolo ou uma salada de frutas agora?”.

Nesse sentido, a permissão incondicional para comer deve considerar o que realmente a pessoa gosta de comer.

É muito comum ouvir-se dizer, especialmente quem está de dieta restrita, “nem gosto de tomate, mas tenho de comer”, quando nem se apercebem que há uma janela de oportunidade, ou seja, há uma panóplia de alimentos que gosta para optar, variar, alterar. Alimentos esses, que suprirão a fome, mas de uma forma prazerosa.

Não é adequado considerar que as comidas tenham de ter classificações do tipo:

“mais ou menos saudável”;
“permitidas ou proibidas”;
“deveriam ou não ser consumidas”, etc.

Mas sim, dar um significado equivalente a todos os alimentos, pois só assim é possível que a escolha seja verdadeiramente baseada na vontade.

Fazer as pazes com a comida e acabar com os “bloqueios mentais” (dietas, regras, obrigações, horários, etc.) permite-nos perceber as sensações do corpo quando se come o que se deseja.

Quando finalmente te permites comer a comida “proibida”, a refeição será vivida com tanta intensidade que dificilmente resultará em excessos ou numa culpa avassaladora. Logo, quanto mais proibido for o alimento, mais vontade desse alimento terás. Promover a paz alimentar resume-se a fazer as pazes com a comida.

O pensamento está inserido no comportamento alimentar. Assim sendo, alterar o nosso padrão ajudará a apaziguar as nossas escolhas e ouvir as nossas vontades. 

Sendo esta mudança um processo, quanto mais praticares mais confiança vais conquistar. 


Obter uma liberdade é possível quando deixam de haver alimentos proibidos vs permitidos.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *