Artigos

MEDITAÇÃO – Viver no aqui e no agora com atenção plena

A palavra “meditação” vem do latim “meditatum”, que significa ponderar. Trata-se de uma prática pessoal de conexão com o momento presente e de consciencialização interna. Surgida na Índia há milhares de anos atrás e propagada pela Ásia. 

Em 1967, o professor de Harvard, Dr. Hebert Benson descobriu que pessoas num estado meditativo usavam cerca de 17% menos oxigénio. Além disso, apresentavam menor pressão sanguínea e um aumento na produção de ondas cerebrais, essenciais para ajudar a melhorar a qualidade do sono, por exemplo. 

Mas afinal o que é a meditação?

Vamos ouvir respostas como: “sentar de pernas cruzadas”, “fazer silêncio” e “não pensar em absolutamente nada”. 

já tentaste não pensar em nada? Se ainda não tentaste, eu garanto-te, é uma missão impossível! Meditar nada tem a ver com esvaziar a mente de pensamentos, no mínimo terias que pensar para não pensar. 

A meditação é um exercício de foco, concentração e consciência que promove o relaxamento físico e o equilíbrio psicológico de quem pratica. 

Mindfulness: a meditação do ponto de vista da ciência: 

Resume-se à “consciência da experiência do momento presente, com uma atitude de aceitação, em que nenhum tipo de elaboração ou julgamento é utilizado. À medida que estímulos internos ou externos atingem a consciência do praticante, este simplesmente os observa e, assim como surgiram, deixa-os ir, sem qualquer reflexão ou ruminação” (Shapiro et al., 2005). 

O foco está em prestar atenção às sensações do corpo, em especial à respiração. Desta forma será possível tomarmos consciência do “turbilhão” de pensamentos desordenados que nos invadem constantemente. 

Meditar é algo completamente natural para o nosso corpo. O nosso cérebro reage – e por sinal, muito bem – às práticas meditativas. 

Diversos investigadores têm‑se dedicado ao estudo de como a meditação interfere não só no comportamento humano mas também na saúde física e no funcionamento do cérebro. Com o passar dos anos, o córtex cerebral (aquela parte usada para criar ideias e guardar memórias) vai diminuindo. A região do córtex pré-frontal de praticantes da meditação com mais de 50 anos tinha a mesma quantidade de massa cinzenta de jovens de 25 anos. Depois de 8 semanas, um grupo que meditou regularmente apresentou aumento nas áreas do cérebro que regulam a capacidade cognitiva, a memória e as emoções. 

Isso deve-se à plasticidade do cérebro; isto é, ele possui a capacidade de desenvolver novas conexões, na medida em que é estimulado. A meditação é um desses estímulos e, de acordo com o tempo e regularidade da prática, os efeitos cerebrais/físicos/comportamentais podem ser ampliados. 

Podemos educar e controlar a nossa mente. No entanto, tomar consciência que não temos controlo algum com o que possa vir a acontecer no nosso mundo exterior (acidentes, doenças, casos de vida e morte e até mesmo a reação de terceiros), não deixa de ser fundamental. Mas mesmo assim sabendo usar a nossa mente é possível ter controlo e agir melhor em diversos tipos de situações. 

Aceitação e gratidão são sentimentos tão importantes para começar a controlar a mente. O primeiro passo e mais o importante passo para “domesticar” a mente é saber que é possível fazer isso. A partir de agora podes compreender que os teus pensamentos surgem naturalmente e que está nas tuas mãos interpretá-los de uma forma mais benéfica.

Estabelece uma prática de meditação. Começa com 5 minutos e tenta usar esse tempo para te focares na tua respiração, em algum som repetitivo (uma música suave, mantras, etc) e quando um pensamento vier, toma consciência dele e volta ao foco da respiração – Inspira profundamente. Quando inspirares, concentra-te no topo da tua cabeça e quando expirares muda o foco para a tua barriga. 

A meditação auxilia-te no controlo da mente, mas requer prática, consistência e dedicação. Como em qualquer outra atividade, com o passar do tempo, a meditação tornar-se-á mais fácil e os seus resultados mais notórios. 

Em suma, se implementares a meditação na tua vida estarás um passo mais próximo de atingires objetivos como o amor próprio, segurança na tomada de decisões, melhor qualidade do sono, paz, harmonia, bem estar, equilíbrio emocional e felicidade. 

Vive uma vida plena e conecta-te contigo diariamente. 

Newsletter

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply