Artigos

COMO LIDAR COM A ANSIADADE


Olá,

Só por estar aqui a escrever este texto, há uns tempo atrás, estaria tão, mas tão ansiosa… 

Antes de mais, deixa-me dizer-te que eu compreendo. Sei o que sentes e por tudo o que passas e pensas. Reconheço todos esses sinais que estás neste momento a pensar e não te preocupes, em momento algum te irei julgar.

Hoje, falo-te sobre mais uma fatia da minha vida. E que grande fatia…

Sempre disse que era uma pessoa muito ansiosa, com isso, conseguia “desculpar-me” de muita coisa que pensava, sentia, fazia ou até dizia. Era algo normal em mim. Tinha assumido que era ansiosa perante vários diagnósticos, sim, até ansiolíticos tive prescritos. Se os tomei? Isso é outra história…

Durante anos sofri com a dita ansiedade. Vivia no futuro, sofria por antecipação, andava em constante stress, receios, medos e pressão mental, emocional e até física. 

Eu sei que tu sabes do que falo. 

Só comecei a estar mais atenta aos sinais do meu corpo quando este, depois de tantos anos a não aguentar mais a pressão interna, começou a dar sinais externos, quando eu comecei a sentir suores, dores intestinais, arrepios e perfeita noção que estava prestes a entrarem num ataque de ansiedade ou de pânico.

Conto-te isto para que percebas onde estava, como estava. 

Sentia todas essas sensações, mas o pânico de ter um ataque em público, ainda me deixava mais em pânico, nunca me vi a imaginar tantos possíveis cenários num segundo, mas.. eu consegui.

Consegui sempre abstrair-me, começava a andar, saia dos locais, pensava noutras coisas, falava, tudo para não me deixar absorver por aqueles pensamentos e sensações…. 

Até há bem pouco tempo dizia “sou ansiosa”, mas será que sou mesmo? 

Desde então, mais desde que estudo o desenvolvimento humano e emocional que comecei a estudar-me mais e melhor. 

Percebi que a ansiedade é um estado – nós estamos ansiosas e não somos ansiosas. 

Entendes a diferença? 

Desde que percebi isso desbloqueei mais uma crença limitadora que tinha em mim, perceber que afinal não era ansiosa, ou melhor, que nunca o fui, é como se tivesse renascido, acreditas? 

Foi uma libertação mental tremenda é um processo de autodesenvolvimento constante. 

Comecei por estar atentas às causas – locais, comportamentos, situações que me faziam desencadear em mim este estado.

Queres uma ajuda? Pára, ouve o teu corpo, observa os momentos, quando, onde e como esses momentos surgem. Vê qual o foco que pode estar a causar esse estado em ti. 

Presta atenção em todos os detalhes, mas não vale de nada culpares terceiros, pois se a ansiedade é um estado teu, ninguém tem culpa disso, concordas?

Eu encontrei a minha forma de lidar com o meu estado de ansiedade, e tu vais encontrar a tua.

Este foi um dos meus primeiros pontos, depois comecei a conhecer-me cada vez mais e melhor, começar a pegar em todas as minhas crenças limitadoras e fazer delas as minhas crença potênciadoras. Por exemplo, a ansiedade não me limita mais, potência-me – faz com que seja na mesma ponderada e organizada – mas numa maneira mais soft digamos assim. Já tenho autocontrole do momento presente e do meu estado emocional. É um processo interno, demorado mas acredita, é possível. 

Arranjei ainda uma aliada nesta minha caminhada – a meditação – dela falo-te num próximo artigo. 

Percebeste então que as respostas que tanto procuras de como lidar com a ansiedade estão em ti? És tu que as tens, és tu que tens todos os recursos para saberes lidar com um estado teu.

Partilho esta minha fatia contigo, numa forma muito simples, para que percebas que não estás sozinha e que é possível.

Conhece-te e acredita em ti. 

Eu já acredito, ok? 🙂

Alimenta a tua mente.

Newsletter

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply