COMO EVITAR OS HIDRATOS

Evitar os hidratos ainda é uma realidade. Ainda assim, penso que está cada vez menor. 

Acho, pela minha experiência, que o medo, a ansiedade e a vontade “proibida” de quem come alimentos fonte de hidratos de carbono seja, talvez, a maior causa de uma perfeita mentalidade de dieta.

Eu já vi pessoas a fazerem dieta e a “cortarem” os hidratos na refeição mas a comerem gelado como sobremesa. 

Já tive pessoas a dizerem-me que costumam evitar hidratos totalmente na sua rotina alimentar mas, no entanto, comem fruta, leguminosas (consideradas fontes de hidratos, só que elas não o sabem).

Já vi pessoas a evitarem a massa, o pão, a batata e o arroz nas refeições principais durante a semana e perderem-se nas refeições todas no fim de semana, consumindo porções gigantes destes alimentos.

Já vi quem não coma fontes de hidratos à noite – ao jantar -, mas depois a ceia é um chocolate ou até pão ou bolachas por não resistir mais ao desejo proibido. 

Não há nada de errado, para mim, com cada uma deste cenários.

Se te identificas com alguns destes cenários e pretendes continuar a viver a tua rotina alimentar assim, por mim tudo bem. Quero que acima de tudo estejas feliz com as tuas escolhas independentemente de quais sejam.

Mas…

Como estas aqui, deduzo que queiras umas dicas ou até a porção mágica para evitar os hidratos. Mas não, não faço magia nem tenho dicas para evitares os hidratos.

Aliás, a minha dica é o oposto: não os evites! E aí verás como eles deixam de ter tanta importância da tua vida.

Primeiro é importante entenderes o que são os hidratos.

Basicamente são a nossa maior fonte de energia, a nível calórico (se é que isso te interessa, porque a mim não) tem 4Kcal/gr tal como a proteína.
(incrível como da proteína não queres fugir…).

É um macronutriente fundamental para a nossa sobrevivência. 

No entanto, reforço que o problema não está nos alimentos fontes de hidratos mas sim no teu comportamento perante eles. 

Se pensares bem tudo o que implica as tuas ações começa na tua cabeça, ou seja, no teu pensamento

Quando deixares de olhar para esses alimentos como “maus” ou sendo eles os culpados pelo teu descontrolo e aumento de peso e começares a autorresponsabilizar-te pelas tuas escolhas e decisões, tudo se tornará mais palpável. 

Agora, querer evitar, fugir, culpar ou arranjar desculpas para as consequências dos teus atos, isso não te vai levar aonde tu queres chegar. 

A única coisa que estás a evitar é olhar para ti, para o teu interior e é aí que o trabalho precisa começar.

Os alimentos continuaram neste mundo de igual modo, tu é que tens a capacidade de modificar o teu comportamento e maneira de estar perante eles. 

Ao quebrares essa mentalidade e entenderes qual a razão de teres de fugir desse alimentos, a razão que te leva a ter desejos descontrolados, a não saber lidar com a comida, a não entenderes qual a razão de engordares mesmo fazendo “dieta”… a tua vida muda e muda para melhor.

Viver em paz com a comida é possível.
Viver em paz com o teu corpo é possível.
Viver com equilíbrio comendo fontes de hidratos é possível.

O que não é possível é conseguires resultados diferentes tendo constantemente os mesmos comportamentos.

A autorresponsabilidade é vista como uma das primeiras etapas para que assumas a perspetiva para a mudança da tua vida.⁣

Como 𝘍𝘳𝘦𝘶𝘥 salienta:⁣
“A maioria das pessoas não quer realmente a liberdade, pois liberdade envolve responsabilidade, e a maioria das pessoas tem medo de responsabilidade.”⁣

Por outro lado se estás disposta a mudar e precisas de ajuda, podes ser minha mentorada através do Método Alinha -promovemos uma colaboração ativa entre nós para juntas melhorarmos a tua relação com a comida.

Vamos a isso? 💚

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *